Nossa História

        A agricultura familiar surge como palavra-chave para acessar o conteúdo de uma categoria sociopolítica que abarca uma miríade de sujeitos e grupos sociais. Todos os esforços de delimitação conceitual da agricultura familiar se deparam com a necessidade de reconhecer uma forma de produção ancorada por relações socioculturais que guardam inúmeras especificidades territoriais.

       Por este motivo o Observatório adota o termo Agriculturas Familiares como expressão plural das distintas identidades que habitam o meio rural latinoamericano: colonos, camponeses, indígenas, quilombolas, pescadores artesanais, pecuaristas familiares, produtores familiares, sitiantes, parceiros, meeiros, lavradores, caiçaras, caipiras, faxinalenses, chacareros, produtores sem terra, agricultores periurbanos, povos originários, extrativistas.

        A institucionalização do Observatório AFLA teve início em 2015, com reuniões informais entre pesquisadores da UFRGS-UNILA, os quais elaboraram um Projeto de Cooperação Técnica, assinado pelos Reitores de ambas as Universidades no início de 2018. Neste mesmo ano houve a primeira reunião oficial dos pesquisadores do Observatório AFLA, que desde então têm realizado pesquisas voltadas as áreas de atuação e linhas de pesquisa que o Observatório contempla.

        O Observatório AFLA está registrado na base dos Diretórios dos Grupos de Pesquisa do CNPq, a chancela da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa da UNILA.

Parceiras Institucionais